Como ser um vereador com um bom banco de dados para as eleições?

Como ser um vereador com um bom banco de dados? Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro utilizando esse banco de dados? Veja dicas matadoras!
Veja dicas de como ser um vereador com bom banco de dados para ganhar uma eleição com pouco dinheiro - Foto: Campaing Creator/Unsplash

A vitória de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018 comprovou a eficiência de uma ferramenta indispensável para qualquer candidato que queira ser vencedor em tempos digitais: banco de dados de eleitores.

O presidente do Brasil superou a falta de tempo de televisão e de recursos financeiros para a sua campanha eleitoral ocupando espaço não só nas redes sociais, como Facebook e Twitter, mas principalmente no WhatsApp.

Antes, durante e até depois das eleições, vídeos, textos e memes de Bolsonaro dominavam grupos e conversas no aplicativo.

Quando você menos esperava era alcançado por um conteúdo da campanha de Bolsonaro, enviado por um amigo ou contato de sua agenda, que também havia recebido de outra pessoa, que por acaso, também tinha recebido de outro usuário.

O sucesso da campanha de Bolsonaro foi tão grande, utilizando espécies de micro-influenciadores ou compartilhadores comuns do WhatsApp, que o candidato foi até investigado pelo uso de Caixa 2 para disparos em massa.

Nada foi comprovado, mas mesmo que tivesse ocorrido, mais importante que a capacidade de disparar mensagens é ter para quem disparar e para isso, é necessário contar com um bom banco de dados com contatos dos eleitores.

Aliás, um bom banco de dados serve não somente para envio de mensagens de WhatsApp, SMS ou até e-mail, mas também para fazer campanhas de Ads (anúncios) em redes sociais.

Cabe lembrar que um dos principais escândalos do marketing político ocorreu com a empresa Cambridge Analytica, que utilizou quizzes para roubar dados de usuários do Facebook e usá-los de forma segmentada em campanhas de Donald Trump e o Brexit. Errado ou não, banco de dados!

Mas então, como ser um vereador ou candidato com um bom banco de dados? Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro utilizando esse banco de dados? Separei algumas dicas abaixo para ajudar.

Como ser um vereador? Crie recompensas para as pessoas se cadastrarem!

Como já disse em outros artigos, político e política não despertam o interesse da população em geral, especialmente, antes do período eleitoral. Por isso, ninguém quer se cadastrar em nada para receber conteúdo de políticos em sua privacidade.

Uma boa estratégia para mudar isso é oferecer recompensas para os cadastros. Mas isso significa dar dinheiro para as pessoas? Não. Até porque a compra de cadastros pode configurar crime eleitoral.

Quando falo de recompensa é oferecer algo que interesse e leve a pessoa a preencher um cadastro. Você, com certeza, já viu sites e lojas que oferecem um e-book ou desconto para cadastrados. O princípio é o mesmo.

Por exemplo, uma palestra gratuita ou a participação em uma reunião de mandato (ou candidatura) e fazer isso por inscrição, como um curso, pode funcionar. A exclusividade também pode ser um atrativo ao prometer informações exclusivas e únicas para quem fizer o cadastro.

Como ser um vereador? Crie uma landing page gratuita para capturar contatos!

Agora que já tem uma recompensa a oferecer, é preciso criar uma área, de preferência digital para que as pessoas façam o cadastro.

Apesar do Google Forms permitir criar formulários para que as pessoas preencham seu nome, e-mail e telefone, além de outras informações que queira incluir, como endereço e opiniões sobre temas, ainda é melhor e mais atrativo criar uma landing page.

Landing page são páginas ou sites únicos, com um objetivo final, que neste caso é o de captura de dados. Com certeza você já viu sites com algum conteúdo atraente ou com alguma recompensa, mas que exige o cadastro.

Apesar de parecer difícil, criar uma landing page pode ser mais simples do que parece. Para quem já tem site, em especial, no WordPress, o plugin Elementor oferece opções simples e eficientes. Melhor ainda, em endereço (domínio) próprio e sem limites.

Mas sem ter um site é possível criar landing pages gratuitas. Algumas ferramentas que oferecem esse serviço de forma simples são o InstaPage e a WishPond.

Vale lembrar que os planos gratuitos dessas duas ferramentas possuem limites de cadastros e acessos, mas é possível contratar planos baratos e sem limites.

Faça campanhas de cadastros no Facebook!

Outra opção está no Gerenciador de Anúncios do Facebook, onde é possível criar campanhas de Ads (anúncios) que geram cadastros.

Nesta opção é possível atingir pessoas mais propensas a se cadastrarem linkando para uma landing page específica e assim, gerando mais informações e contatos para o banco de dados, gastando pouco dinheiro.

Crie lista(s) de transmissão no WhatsApp e alimente!

Com o local para captura dos cadastros e contatos pronto é hora de organizar e alimentar. Uma das formas mais simples e eficientes está no WhatsApp.

No caso de dispositivos Android, basta baixar ou exportar o arquivo (geralmente Excel) dos contatos gerado na landing page e importar para a conta Google sincronizada no smartphone.

A partir daí, basta ir ao WhatsApp, tocar nos três pontinhos do canto direito e escolher Nova Transmissão. A partir daí é só selecionar os contatos que quer incluir na lista. É possível incluir até 256 contatos por lista.

Lembrando que para receber as mensagens da lista, o cadastrado precisa ter seu número salvo na agenda. Por isso, antes de encaminhar o conteúdo na lista, faça a ativação dos contatos.

Como? Envie mensagens padrões, mas que pareçam íntimas, dando um “olá” e dizendo “adicione meu contato em sua agenda para nos falarmos sempre”, “salve meu número e procure sempre que precisar” ou algo do tipo, que convença o eleitor a salvar seu número.

Não esqueça de ter um servidor de e-mail marketing!

WhatsApp é importante, mas não é possível abrir mão do e-mail, até porque você coletou esse tipo de informação no cadastro para usar.

Os serviços de e-mail gratuitos e comuns, como o Gmail, por exemplo, são restritos para enviar mensagens, em alguns casos, menos de 50 por dia, o que pode prejudicar o envio para listas e cadastros maiores.

Por isso, é importante ter serviços de e-mail marketing, onde possa importar sua lista de contatos do cadastro e enviar um volume maior de mensagens.

Alguns serviços que funcionam e bem gratuitamente, além de oferecer um bom limite de mensagens gratuitas por dia ou semana, mais de 2.000 em alguns casos são o MailChimp e o Mailer Lite.

Os dois, além de uma capacidade satisfatória de mensagens enviadas gratuitamente, também oferecem templates interessantes de e-mail, que vão além do fundo branco e letras coloridas do tradicional, abrindo a possibilidade de criar uma mensagem atraente do ponto de vista estético sem grandes dificuldades.

Leia outros artigos sobre marketing político para vereador e tenha ideias de marketing para campanha política

Como montar um discurso de vereador vencedor em 3 passos?

Como se eleger vereador em cidade pequena com 3 dicas

Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro no Facebook?

3 motivos para usar o WhatsApp Business na sua campanha

3 ideias de posts para fazer marketing político no Facebook

Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro com 6 aplicativos?

3 ideias de marketing para campanha política no Instagram

3 ferramentas Google para ganhar uma eleição com pouco dinheiro?

2 dicas de Marketing Político candidatos de oposição e de situação nas eleições de 2020

5 erros do papel do vereador no marketing político da campanha

5 dicas para fazer um planejamento estratégico para campanha política

A eleição de 2020 já começou e você não percebeu

Como encontrar eleitores para a campanha de vereador

Marketing Político nas redes sociais: como criar e gerenciar páginas de candidatos?

Marketing Político: melhores posts para candidatos nas redes sociais

Quais são os melhores cursos de marketing político do Brasil?

Qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral?

Conheça os melhores profissionais do marketing político do Brasil

Marketing Político e Marketing Eleitoral: Qual a diferença?

Marketing Político no WhatsApp: como se comunicar com os eleitores?

Sobre Lucas Pimenta 38 Artigos
Lucas Pimenta é jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi e com especialização em Marketing Político e Campanhas Eleitorais pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Trabalha na Câmara Municipal de São Paulo, atuou ainda na Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura de São Paulo e na Secretaria Estadual da Segurança Pública de São Paulo. Foi repórter ainda em jornais como Metrô News, Folha Metropolitana e Agora São Paulo.

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Como empresas de redes sociais estão dificultando o marketing político?
  2. Como ganhar uma eleição para vereador com pouco dinheiro?
  3. 3 motivos para captar de dados de eleitores para ser eleito vereador

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*