O que o candidato pode e não pode fazer no marketing político nas redes sociais

O que o candidato pode e não pode fazer no marketing político nas redes sociais? Descubra o que é proibido e permitido pela lei no período pré-eleitoral!
O que o candidato pode e não pode fazer no marketing político nas redes sociais? Descubra o que é proibido e permitido pela lei no período pré-eleitoral! - Foto: Capturing the human heart/Unsplash

O esperado ano eleitoral chegou e não adianta esperar os 45 dias finais para fazer marketing político nas redes sociais. O pré-candidato deve construir imagem e reputação desde agora para ganhar a eleição.

Mas, muitos pré-candidatos não sabem o que podem e o que não podem fazer em seu marketing político nas redes sociais neste momento.

Por isso, separei o que é proibido e o que é permitido fazer de agora até agosto quando, efetivamente, começa a campanha eleitoral. O que você, pré-candidato, pode e não pode postar nas suas redes agora?

Pode dizer que é pré-candidato?

Pode sim. É permitido que a pessoa anuncie que é pré-candidata a algum cargo para as eleições de 2020, mas não deveria sair por aí dizendo isso.

Isso porque mais importante que dizer ou ser pré-candidato é mostrar o porquê é. É preciso mostrar quem é você, o que pensa, em que acredita, o s problemas de sua cidade e como você já está trabalhando, mesmo sem mandato, para resolver esse problema.

Pode pedir voto ou divulgar o número?

Não. Não pode de jeito nenhum até que comece a campanha eleitoral. Além disso, nenhum brasileiro, neste momento, está pensando em quem irá votar em outubro e muito menos, o número ou partido de um candidato.

Então, além de ilegal, a prática não ajuda em nada a fazer marketing político nas redes sociais nesse momento.

Pode criar páginas nas redes sociais?

Pode e deve criar canais para divulgar conteúdos sobre sua trajetória, seu trabalho, suas ideias, suas opiniões e etc.

Você não só pode como deve ir além do perfil pessoal e criar páginas públicas (fan pages ou páginas comerciais) para que possa patrocinar/impulsionar seus conteúdos e mensurar os resultados.

No perfil pessoal, isso não é possível e você fica limitado a falar somente com uma parcela pequena de seus amigos, e assim, não vencerá as eleições.

Pode postar conteúdos políticos nas redes?

Pode sim. Só tenha cuidado em divulgar resultados de pesquisas não-registradas ou enquetes de redes sociais sobre intenção de voto.

Apesar da legislação autorizar a realização dessas enquetes nesse período, a divulgação pública dos resultados pode gerar problemas. Além de, é claro, não adiantar nada, afinal, ninguém está ligando para voto/candidato agora.

Concentre-se em fazer e postar conteúdos sobre você e sua cidade. Esqueça eleição e votos. Preocupe-se em mostrar aquilo que você tem de bom.

Pode impulsionar/patrocinar posts nas redes?

Não só pode como deve impulsionar/patrocinar. As redes sociais entregam um conteúdo para um percentual limitado de seguidores de sua página no orgânico, ou seja, sem pagar.

Por isso, para alcançar mais pessoas e fazer marketing político nas redes sociais indo além de seus amigos, você precisa impulsionar/patrocinar, de forma inteligente e segmentada.

Além do cuidado para não pedir votos e fazer campanha extemporânea, tenha cuidado para não exagerar nos gastos no período pré-eleitoral.

A senadora juíza Selma Arruda teve seu mandato cassado, pois gastou e muito no período pré-eleitoral, onde não há prestação de contas ao TSE, o que configurou Caixa 2, já que na campanha eleitoral, quando prestava contas, ela gastou bem menos.

Leia outros artigos sobre marketing político para vereador e tenha ideias de marketing para campanha política

Marketing Político no Facebook: fale mais do eleitor, menos do candidato

Quem são os políticos mais influentes nas redes e como se inspirar para 2020?

Eleições 2020: vale a pena fazer transmissão ao vivo?

Três ações de marketing do Bolsonaro para utilizar em 2020

Como empresas de redes sociais estão dificultando o marketing político?

Como ser um vereador com um bom banco de dados para as eleições?

5 dicas para saber se conteúdo é bom e ajuda a ganhar a eleição

Como usar o IGTV para ganhar uma eleição com pouco dinheiro?

5 segredos para investir em Ads e ganhar uma eleição com pouco dinheiro

Como montar um discurso de vereador vencedor em 3 passos?

Como se eleger vereador em cidade pequena com 3 dicas

Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro no Facebook?

3 motivos para usar o WhatsApp Business na sua campanha

3 ideias de posts para fazer marketing político no Facebook

Como ganhar uma eleição com pouco dinheiro com 6 aplicativos?

3 ideias de marketing para campanha política no Instagram

3 ferramentas Google para ganhar uma eleição com pouco dinheiro?

2 dicas de Marketing Político candidatos de oposição e de situação nas eleições de 2020

5 erros do papel do vereador no marketing político da campanha

5 dicas para fazer um planejamento estratégico para campanha política

A eleição de 2020 já começou e você não percebeu

Como encontrar eleitores para a campanha de vereador

Marketing Político nas redes sociais: como criar e gerenciar páginas de candidatos?

Marketing Político: melhores posts para candidatos nas redes sociais

Quais são os melhores cursos de marketing político do Brasil?

Qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral?

Conheça os melhores profissionais do marketing político do Brasil

Marketing Político e Marketing Eleitoral: Qual a diferença?

Marketing Político no WhatsApp: como se comunicar com os eleitores?

3 ideias de marketing para campanha política no Instagram

3 ferramentas Google para ganhar uma eleição com pouco dinheiro?

2 dicas de Marketing Político candidatos de oposição e de situação nas eleições de 2020

5 erros do papel do vereador no marketing político da campanha

Como ganhar uma eleição para vereador com pouco dinheiro?

5 dicas para fazer um planejamento estratégico para campanha política

A eleição de 2020 já começou e você não percebeu

Como encontrar eleitores para a campanha de vereador

Marketing Político nas redes sociais: como criar e gerenciar páginas de candidatos?

Marketing Político: melhores posts para candidatos nas redes sociais

Quais são os melhores cursos de marketing político do Brasil?

Qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral?

Conheça os melhores profissionais do marketing político do Brasil

Marketing Político e Marketing Eleitoral: Qual a diferença?

Marketing Político no WhatsApp: como se comunicar com os eleitores?

5 dicas para fazer um planejamento estratégico para campanha política

A eleição de 2020 já começou e você não percebeu

Como encontrar eleitores para a campanha de vereador

Marketing Político nas redes sociais: como criar e gerenciar páginas de candidatos?

Marketing Político: melhores posts para candidatos nas redes sociais

Quais são os melhores cursos de marketing político do Brasil?

Qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral?

Conheça os melhores profissionais do marketing político do Brasil

Marketing Político e Marketing Eleitoral: Qual a diferença?

Marketing Político no WhatsApp: como se comunicar com os eleitores?

Sobre Lucas Pimenta 44 Artigos
Lucas Pimenta é jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi e com especialização em Marketing Político e Campanhas Eleitorais pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Trabalha na Câmara Municipal de São Paulo, atuou ainda na Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura de São Paulo e na Secretaria Estadual da Segurança Pública de São Paulo. Foi repórter ainda em jornais como Metrô News, Folha Metropolitana e Agora São Paulo.

3 Comentários

    • Não só pode como deve. Sem impulsionar, você não faz Marketing Político profissional. O que você NÃO PODE é pedir voto, falar que é candidato, falar seu número ou o que for. Mas, por exemplo, fazer um vídeo reclamando de um buraco na rua e patrocinar, como um cidadão indignado, pode normalmente. Aliás, como disse, não só pode, como DEVE fazer.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*